A educação cura

A educação cura. Boas práticas tanto salva como liberta.

O Gestor discursando no salão nobre do CEMA.

O Gestor discursando no salão nobre do CEMA.


Durante esses oito anos que passei aqui com vocês na condição de Gestor gostaria que vocês refletissem a importância do conhecimento de si mesmo se torna um ponto de partida extremamente relevante para que o eu possa ter o contato de convivência e conhecimento do outro por isso “Descubra quem você é e faça questão de ser essa pessoa”.

A liderança é muitas vezes definida como uma jornada que começa, é claro, na linha de partida Você.

Antes de poder exercer a posição de líder você precisa aprender a liderar a si mesmo. O princípio fundamental da auto liderança é o desejo de fazer uma diferença positiva.

Descobrir o que você é capaz ou não de fazer é indispensável para o próprio desenvolvimento. Outro aspecto essencial é um completo entendimento não só de seus pontos fortes, mas também dos fracos. Para fazer a balança pender para o lado das qualidades é preciso desenvolver um profundo autoconhecimento, aprimorado por meio de tentativa e erro ou em outras palavras, da pratica.

O que gostaria também de trazer como fonte de reflexão é baseado no nosso objetivo geral que a nossa escola pretende alcançar com o nosso público estudantil que tem como principio

Garantir a universalização de igualdade de acesso, permanência e sucesso dos educandos nesta Unidade escolar; promovendo o exercício da cidadania através da colaboração para o desenvolvimento da capacidade de aprender, respeitando as fases de desenvolvimento de cada educando e suas aptidões, auxiliando-o na compreensão do seu ambiente natural, social, sistema político, das tecnologias, das artes e dos valores que fundamentam a sociedade, com o fim de formar cidadãos plenos e proativos, que visem o fortalecimento dos vínculos de solidariedade humana e tolerância recíproca, base para a boa convivência social.

Não se tem cidadania completa sem informar sem informação livre – isso já sabemos. Não existe cidadania completa se não houver educação. A cidadania implica a liberdade de escolha. Se o individuo não tiver a oportunidade de escolher e optar, a cidadania, por definição, estará atrofiada, não poderá ser exercida. É o mesmo que enjaular a pessoa. Quando se faz isso, o que se está dizendo a ela é o seguinte: “Você não tem a possibilidade de optar, você está presa”. É por isso, que a meu ver, nessa nova era de que estamos falando, não podemos, no processo de comunicação, abrir mão de uma habilidade, pois, na verdade, a função da educação não é levar o aluno a decorar informações ou conhecimentos, mas sim a desenvolver habilidades.

O professor ensina alguém a tocar piano não para que o aluno fique aprendendo a tocar piano, mas para que ele efetivamente toque piano.

A educação cura (Boas Praticas salvam)

Uma habilidade que considero indispensável nas escolas e que vai garantir ao aluno sua empregabilidade, sua cidadania, é uma leitura crítica da mídia. Enfim porque falo nisso é caso o indivíduo não saiba ler as informações criticamente, sua capacidade de agir estará comprometida. Então para concluirmos é preciso que saibamos fazer uma leitura critica da situação que a nossa Presidente está passando nesse momento que no fundo o que a mídia juntamente com o grupo politico que aposta no quanto pior melhor querem Impeachment para barrar as grandes conquistas que esse país vem conseguindo ao longo desses 12 anos de administração do partido dos trabalhadores.

No final , é isto que mim orienta: eu acredito que a palavra tem um poder divino.Acho que a palavra reproduz a ideia da divindade, porque a palavra cura, como a Psicanálise já mostrou; a palavra faz revoluções… e a palavra também é diabólica. O poder da palavra é diabólico. Cabe-nos saber como usar essas duas linguagens para maximizar o poder de mutação que é próprio da educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^